6 de jun de 2016

Boa noite, peixinho

Há muito tempo que era daquele jeito
Chegava a ser confortável como era
Calada, sorridente, animada
Sofria mais internamente, mas ninguém sabia
Seu choro nunca era notado
E seu desespero calado, passava despercebido.

Ah como era bom, a época em que podia
reclamar a vontade e nada recebia
Boa era a sensação de tristeza que desaparecia
Voltava e ia, como seu brinquedo preferido
Mas não há como voltar, apenas aceitar
O fardo que agora carrega de seus pecados pagar

Odiava-se antigamente, mas agora percebe o quão era feliz
Pode ter pessoas ao seu lado agora, mas o que isso diz?
Nada, nada alem da sua incapacidade
Nada alem de não poder ficar sozinha em paz

Escuta e escuta, e por momentos respondeu
Entretanto não conseguia discutir, medo, medo
Lembra da sua boca costurada e sorri com a saída encontrada

Fio e linha, agulha afiada, espelho a frente, sua mente preparada
Mão firme, perfurando a pele
Um, dois, três pontos, logo acabará
Sangue das pequenas passagens escorre
Mas isso não a atordoa, logo estará acabado
E poderá tentar voltar ao seu antigo estado

Abriu seus lábios demais, muitas palavras vomitadas
Antes que maior o estrago fique, costurará a carne
Não doí, é até mesmo um alívio
Isto de novo fazer, lhe trará descanso

Engolirá tudo o que ouvir novamente
Mentirá para encubrir seu egoísmo
Lamberá sua lagrimas para que não as vejam
Será feliz para todos que assim acreditam

Mas tudo será uma mentira, e assim deve ser
Afinal, sempre mentiu. Como seu pai.
Esse ato que pode causar grandes tragedias
sempre foi seu maior refugio
E continuará sendo, até sua morte

Terá que prometer ao menos tentar,
manter os labios costurados para estragos evitar,
Já mente sobre tantas coisas, que diferença faz mais uma?

Ideologias, crenças, duvidas, gostos,
Tudo, esconda tudo e faça uma fachada
Uma fachada bem bonita para que todos acreditem
Que feliz e normal, feliz e normal, é

Feche os olhos agora, não engasgue no próprio sangue
Seu sorriso costurado com a linha dada nó
Irá fazer com que os pesadelos sejam pó

Sh, durma agora, será cantada uma canção
Sh, durma agora, o sangue está no coração
Sh, durma agora, enquanto sua mente está sã
Sh, durma agora, os dias virão

Boa noite

Nenhum comentário:

Postar um comentário