30 de mai de 2012

Querido


"Querido,

Antes que se pergunte o que diabos esta carta está dizendo quero que leia bem e pense muito antes de tirar qualquer opinião sobre o que vou escrever.

Acho que eu deveria começar explicando o porquê estou escrevendo, ou então, os motivos que me levam a escrevê-la, mas acho que por ser eu estar a escrevendo deveria ser diferente. Isso faz algum sentindo? Espero que faça, pois escrevo com tanta dor no meu coração que não sei se terei coragem de lê-la novamente.

Sempre fomos tão amigos, lembra-se? Desde que te vi pela primeira vez sinto algo no fundo do meu coração. De começo, confesso que achei que fosse o intenso sentimento de amizade. Mas logo fui percebendo que o que eu sentia era mais forte que isso.

Todos os dias em que eu chego à escola o vejo rodeado de garotas que não te amam, só estão ali por puro interesse, mas parece que você não percebe isso. Doí só de ver as imagens na minha mente, as imagens que mais parecem um filme de terror no qual eu sou a vitima. E o pior de tudo é que parece que você gosta disso. Será que não percebe que elas não te amam como eu te amo?

Mas a dor pior foi quando você simplesmente começou a se afastar de mim. Simplesmente parou de falar comigo e foi cada vez mais se aproximando delas. A dor foi tanta que eu não conseguia reagir. Não consegui tentar me aproximar novamente de você. Era como se eu estivesse em puro choque.

Estou escrevendo essas palavras e nem me importo se vai conseguir distingui-las, as lágrimas estão embaçando a minha visão. Não estou pedindo para vir me pedir desculpas. Estou aqui porque não aguento mais sentir tanta dor na minha alma.

Talvez quando você ler esta carta, não mude nada. Mas sinto como se tivesse me livrado de um peso nas costas. Não espero que isso me livre da dor que sinto todos os dias ao olhar para você, mas como dizem... A esperança é a última que morre.

Acho que você já saiba quem está escrevendo a carta, mas isso já não me importa mais.

Com amor.
Alguém que te ama."



Aqui estou eu. Com essa crônica para SM.

6 de mai de 2012

Here comes de the sun.

A música que lhe fazia se sentir melhor tocava em seu coração. Ela esquadrinhou todo céu com o seu olhar e imaginou o que ele estaria fazendo. Isso não é da sua conta, pensou enquanto brincava com uma moeda, seu olhar se perdia na imensidão azul de um céu em pleno inverno paulista. 


Isso sim era incomum. Todos estavam dizendo que este inverno castigaria São Paulo, mas tudo o que sentia era uma leve brisa. 

O céu estava repleto de estrelas brilhantes, outra coisa muito incomum. Assim como o sentimento que tomou seu coração. Nunca havia se sentido assim antes.

 Sorriu de lado enquanto via a imagem dele na sua mente. Era linda e calma como a música que a encantava. O seu sorriso aumentou e uma risada nervosa escapou de seus lábios.


Se levantou da grama onde estava deitada e passou a mão na roupa para limpa-la. Suspirou e entrou em casa. Deu um boa noite para sua mãe e subiu para seu quarto sem nem mesmo jantar. Fechou a porta e tirou a calça jeans. Tirou a maioria dos cobertores e deixou apenas o lençol. 

Soltou os cabelos e abriu a janela, era um habito que tinha. Sua mãe já havia a proibido de fazer isso, vai que um ladrão vem e assalta a casa?

 Mas ela não estava nem ai. Desligou a luz do quarto e ligou a do abajur, não gostava de dormir no escuro. Não era medo, era mais um costume que havia pegado. Deitou-se e se deixou levar pela bela imagem dele. 
Era de manhãzinha quando acordou. 

O sol nem havia nascido direito e ela viu que eram 06hrs00min da manhã.Se levantou e percebeu que havia esfriado, mas assim que fechou a janela ela escutou um barulho.

 Percebeu que veio da janela, a abriu e olhou para baixo, quando de repente se depara com um garoto vestido de pijamas e sorrindo para ela. Ela praticamente não acredita e corre para a porta da frente, sem nem mesmo vestir uma calça.

Abriu a porta e ele sorriu mais ainda.

- Eu dormi pensando em você. Eu passei o dia inteiro pensando em você. Na verdade, desde que eu a conheci que eu penso em você e nem me venha com desculpinhas por que eu sei que você pensa em mim. - ele disse.

- Convencido - ela disse e os dois riram.

O sol nascia quando os dois se entregaram um ao outro, com um único beijo. Um beijo que os faria viver para sempre.