25 de mar de 2012

Valeu apena?


Ela estava sozinha quando o pensamento lhe veio novamente à cabeça. O pensamento familiar de que eles poderiam ficar juntos, lado a lado. O quanto ela queria isso... O quanto queria que ficassem juntos para que eles fossem felizes, como um conto mágico. E como o pensamento lhe veio àquela sensação de quando percebeu que ele havia ido embora. Era como se ela estivesse sido libertada de algo que não gostaria de libertar e a fazendo se sentir só.
Quando olhou para trás, viu os erros que haviam cometido. Os passos errados que deram e que continuaram dando. O gosto dos lábios dele ainda estava em sua boca, como um doce que foi provado a tempo atrás, mas que continua. Percebendo que a cama estava vazia, apenas ela e suas lembranças. Lembranças de carinhos e amor que ficaram guardados.

Via a porta entreaberta e percebeu que eles haviam apenas perdido tempo e por medo não seguiram adiante. Descobriu que tinham se prendido a algo que não pertencia a eles e percebeu que jogaram tantas coisas fora apenas por inseguranças. Perguntou a si mesma o que havia feito. Perguntou o que tinha feito para perdê-lo e para onde teria ido, ou então, onde se escondeu, para ajudá-la a esclarecer a história que haviam vivido. Apenas para ela saber o que seria deles.
Será que teriam continuado com aquele amor egoísta e cruel que não permitiu mais nada além daquilo que acabou?
Antes o amor que não deixava eles se soltarem por nada, nem mesmo para comer. Parecia não deixá-los nem olhar um nos olhos dos outros. Sabia que poderia estar errada. Pois a culpa poderia ser dos dois. Fechou os olhos e respirou fundo quando as perguntas invadiram sua mente. Veja o que nosso sonho se tornou. Veja o que passamos por esse sonho. Veja o que aconteceu.
A única coisa que ela queria era saber. Valeu apena tudo isso?




Isso não é de minha autoria, confesso. Eu e a Sovetinho resolvemos fazer uma... Não sei como chamar isso. Eu mandei uma cronica para ela e assim ela transforma em poema e vice-versa. Ficou uma porcaria. Não levo jeito para escrever poema e nem para transforma-lo. Espero que ela me perdoe.

Nenhum comentário:

Postar um comentário